© 2013 | Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão Política de Privacidade | Todos os Direitos Reservados

Um Século

De História

Primeiro   grande   marco   na   história   da   nóvel Associação,   a   data   de   20   de   Abril   de   1890, ou   seja,   a   data   da   primeira   aparição   pública desta Associação. A   6   de   Maio   de   1890,   em   Assembleia   Geral   e aprovado   por   unanimidade,   é   apresentado   o projecto de estatutos. Após   três   meses   de   esforços   de   cento   e   três individualidades       de       Famalicão,       estava fundada      a      Associação      de      Bombeiros Voluntários   de   Vila   Nova   de   Famalicão,   uma instituição   criada   para   prevenir   e   combater   o que   não   tinha,   anteriormente,   sido   possível fazer. A   16   de   Julho   de   1890,   em   Assembleia   Geral, são    eleitos    os    primeiros    Corpos    Sociais    da associação   e   Comando   do   corpo   Activo,   que assinalam,   historicamente,   o   começo   legal   da actividade     dos     Bombeiros     Voluntários     de Famalicão. O      primeiro      Quartel      foi      possível      ser inaugurado,   segundo   a   história,   por   alturas da   Feira   Franca   de   S.   Miguel   de   Setembro, desse   ano   de   1890,   no   então   campo   da   feira, não   sendo   conhecida   a   localização   exacta   do Quartel. A    Associação    inicia    a    sua    actividade    com
escasso    material,    dado    que    de    seu,    tinha muito    pouco,    contou    com    a    cedência    de material   de   incêndio,   pertencente   à   Câmara e,    ainda,    nesse    ano    adquiriu    um    carro    de material,   equipado   com   todos   os   apretechos necessários   para   acorrer   a   sinistros,   entre   os quais    duas    macas    de    lona.    Organizada    a Corporação     era     com     este     material,     por reduzido   que   fosse,   que   os   primeiros   sócios activos    tinham    de    contar,    para    combater sinistros   que   íam   aparecendo   e   solicitando   a sua intervenção. O    primeiro    Corpo    Activo,    dos    Bombeiros Voluntários   de   Famalicão,   composto   por   vinte e   cinco   homens,   criaram   a   tradição   e   a   lenda do   Corpo   Activo   da   Associação   nos   Cem   Anos de    história    e    que    o    actual    se    esforça    por conservar. No    principio    do    ano    de    1891,    forma-se    a Banda   dos   Bombeiros   Voluntários,   uma   das mais     importantes     e     afamadas     de     Entre Douro-e-Minho,   que   marcaria   uma   época   em Famalicão    e,    posteriormente    desaparecida, acabando     por     dar     origem     à     Banda     de Famalicão,   formada   para   colmatar   a   falta   da
antiga Banda da Corporação. A   história   do   velho   prédio   do   campo   da   feira, que   durante   onze   anos,   serviu   como   pôde,   de Quartel      dos      Bombeiros      Voluntários      de Famalicão,    chegava    ao    fim.    Assim,    a    9    de Junho   de   1901,   na   casa   número   oitenta   e cinco,    da    rua    Adriano    Pinto    Basto,    desta então    Vila,    realizou-se    a    sessão    solene    de inauguração    do    edifício    próprio    para    esta Associação. Foi   esta   Associação,   em   Dezembro   de   1903, agraciada   com   o   título   de   Real,   pelo   Rei   D. Carlos,   que   após   a   proclamação   da   República, viria      a      trazer      muitas      dificuldades      à Associação. Após   uma   época   conturbada   e   toldada   por tempos   muito   dificeis   que   estrangularam   até as     actividades     mais     insdispensáveis,     a Associação     preparou-se     para     os     grandes cometimentos da década de 1960. Efectuada   a   transferência   da   Associação,   a   7 de    Setembro    de    1958,    para    um    Quartel provisório     na     rua     Alves     Roçadas,     onde permaneceram os Voluntários até 1962, >>  
Mais de Cem Anos com a Triologia do Soldado da Paz
Ver Mais Ver Mais Voltar Voltar História (parte I)