Skip links

Sobre Nós

Mensagem do Presidente

João Coelho
Presidente da Direção

“No dia em que se completa o 128º aniversário da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão, o presidente da Direcção não poderia deixar de saudar toda a família deste exército da paz, com um abraço fraternal a todos aqueles que, diariamente, servem a comunidade de Famalicão, no nosso corpo de bombeiros.
Vivemos numa era de profunda renovação e progresso, no seio da nossa Associação Humanitária, quer no plano material, quer no que respeita à envolvência dos meios humanos.

Para servir melhor, como bem sabem todos aqueles que me conhecem, defendo uma constante modernização das estruturas, que apoiam a nossa actividade humanitária, de forma a continuarmos na vanguarda dos bombeiros portugueses, facto que é inquestionavelmente, reconhecido em todo o território nacional.
A segurança e protecção das populações, obriga-nos a uma especial atenção, dirigidas aos meios de socorro, cuja prontidão e eficácia não se compadece com esmorecimentos e lamúrias infrutíferas. A ver longe, veremos melhor!”

Associação Humanitária de B.V.F

Primeira aparição pública da Associação de Bombeiros Voluntários de Famalicão

A 6 de maio de 1890, na primeira assembleia geral, é apresentado e aprovado por unanimidade o projeto de estatutos. Os primeiros corpos sociais, comando e corpo ativo foram eleitos a 16 de julho de 1890, altura em que legalmente iniciaram as atividades dos Bombeiros Voluntários de Famalicão.

VER A NOSSA CRONOLOGIA

Orgãos Sociais

Avelino Almeida Machado Silva Reis Presidente

Manuel António Gouveia Ferreira Vice-Presidente (Exonerado)

Joaquim Jorge Alves Silva 1º Secretário

Alberto Augusto Couto Alves 2º Secretário

João Machado Coelho Tinoco Presidente

José Francisco Barroso Oliveira Vice-Presidente

José Ribeiro Gonçalves 1º Secretário

Abílio Manuel Pinto Moreira 2º Secretário (Exonerado)

Manuel António Oliveira Lemos Tesoureiro

Elisabete Fernandes Ferreira Vogal

Fernando Domingues dos Santos Vogal

Tiago César Padrão Silva Reis Suplente

João André Silva Matos Suplente

Rogério Guimarães Costa Ferreira Suplente

Fernando Armingo G. F. Alves Costa Presidente

Luís Manuel Ferreira Martins Sousa Vice-Presidente

Manuel Alves Martins Machado Secretário Relator

Manuel António Couto Alves Suplente

Carlos António Maia Carreira Suplente

+ ASSEMBLEIA GERAL
Avelino Almeida Machado Silva Reis Presidente

Manuel António Gouveia Ferreira Vice-Presidente (Exonerado)

Joaquim Jorge Alves Silva 1º Secretário

Alberto Augusto Couto Alves 2º Secretário

+ DIREÇÃO
João Machado Coelho Tinoco Presidente

José Francisco Barroso Oliveira Vice-Presidente

José Ribeiro Gonçalves 1º Secretário

Abílio Manuel Pinto Moreira 2º Secretário (Exonerado)

Manuel António Oliveira Lemos Tesoureiro

Elisabete Fernandes Ferreira Vogal

Fernando Domingues dos Santos Vogal

Tiago César Padrão Silva Reis Suplente

João André Silva Matos Suplente

Rogério Guimarães Costa Ferreira Suplente

+ CONSELHO FISCAL
Fernando Armingo G. F. Alves Costa Presidente

Luís Manuel Ferreira Martins Sousa Vice-Presidente

Manuel Alves Martins Machado Secretário Relator

Manuel António Couto Alves Suplente

Carlos António Maia Carreira Suplente

Corporação de Bombeiros

Missão

Um Corpo de Bombeiros é uma unidade operacional tecnicamente organizada, preparada e equipada para o cabal do exercício de várias missões:

1 – O combate a incêndios.

2 – O socorro às populações em caso de incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos e em todos os acidentes, catástrofes ou calamidades.

3 – O socorro a náufragos e buscas subaquáticas.

4 – O socorro e transporte de sinistrados e doentes, incluindo a urgência pré-hospitalar A prevenção contra incêndios em edifícios públicos, casas de espectáculos e divertimento público e outros recintos, mediante solicitação e de acordo com as normas em vigor, nomeadamente durante a realização de eventos com aglomeração de público.

5 – A emissão, nos termos da lei, de pareceres técnicos em matéria de prevenção e segurança contra riscos de incêndio e outros sinistros.

6 – A colaboração em outras actividades de protecção civil, no âmbito do exercício das funções específicas que lhes forem cometidas.

7 – A participação noutras acções para as quais estejam tecnicamente preparados e se enquadrem nos seus fins específicos.

8 – O exercício de actividades de formação cívica, com especial incidência nos domínios da prevenção contra o risco de incêndio e outros acidentes domésticos.

Valores

Hierarquia e Disciplina

Seguir os ensinamentos de boa conduta, através da obediência às leis, regulamentos, normas sociais e às ordens superiores.

Trabalho em equipa

Alicerçado na confiança, na lealdade e no respeito.

Profissionalismo

Busca de aprimoramento profissional através de cursos, estágios e instruções para uma constante capacitação profissional e o bom desempenho das suas atividades.

Ética

Traduzida na coerência entre responsabilidade nas ações praticadas pelo bombeiro e pelas leis em vigor.

Coragem e Resistência

Aptidão para suportar fadiga, escassez e esforço físico prolongado no cumprimento de missões, superando o medo, a dor, o perigo, a incerteza e ou a intimidação.

Responsabilidade e Solidariedade

Relação pautada pela ética, transparência e desenvolvimento do espírito de solidariedade dentro da comunidade.